Amor ou sexo: mimimi machista!

Escrito Por lemon 15/05/2017 0 Comentarios

Amor ou sexo: mimimi machista!

 

 

      “Mulher que dá para qualquer um não ama nenhum”, “Se for rodada não presta”, “Para ela ser boa tem que ser casta” ... Você certamente já ouviu alguma dessas frases, sendo do gênero feminino ou não. Desde sempre a sociedade (e os homens) definem que mulheres só podem querer amor ou sexo. Os dois não dá!

       Mas por que? Por que esses conceitos recaem sempre nas mulheres, que são obriga-las a segui-los, ou pagam o preço de sofrerem julgamentos e exclusão? Por que homens podem amar e fazer sexo o quanto quiserem e mulheres precisam escolher?

       No texto de hoje vamos falar exatamente disso: dessa necessidade de apontarmos que uma mulher só pode ter ou amor ou sexo na vida, nada mais. Somos seres plurais e merecemos muito mais, senão tudo!

 

 

 

Amor ou sexo – Por que é preciso escolher?

 

      Ser casta sexualmente é uma obrigação que as mulheres sentem que tem que seguir desde que o mundo é mundo. Antigamente elas não só sentiam, mas realmente tinham que se curvar a esse tipo de mandamento.

      Por exemplo, um homem que casava e descobria que a mulher não era mais virgem poderia desistir do matrimônio sem maiores explicações. Eu coloco no passado, mas a verdade é que existem culturas que ainda seguem esses preceitos. O islamismo radical, por exemplo, acredita nisso.

      Os homens também precisam se manter castos? Não, claro. Tirando algumas poucas religiões (a evangélica é um desses casos) a castidade é uma obrigação apenas da mulher. E mesmo na religião evangélica um homem que casa sem ser virgem é mais bem visto do que uma mulher que casa depois de já ter tido relações carnais.

      Mas por que durante séculos as mulheres se subjugaram a esse tipo de decisão? Por que por muito tempo aceitaram decidir entre amor ou sexo para depois viverem suas vidas?

       A princípio porque realmente não tinham escolha. Se quisessem ser socialmente respeitadas (e ser socialmente respeitada significava fazer um bom casamento) precisavam seguir essas regras.

       Hoje isso acontece na maioria das vezes porque acreditamos mesmo que se ficamos com muitos caras e transamos muito não estamos nos dando ao respeito, não estamos nos valorizando.

      Não acreditamos nisso porque queremos, claro, mas porque a sociedade nos coloca nesse lugar e acabamos reafirmando esses conceitos, por medo de transgredir. Não é fácil virar a mesa e se empoderar, se colocar como única dona do próprio corpo, dos próprios sentimentos e do próprio prazer! Mas como fazer para mudar o jogo?

 

 

 

Amor ou sexo – Você não precisa abdicar de nenhum deles

     Como colocado no título essa coisa de ter que escolher entre amor ou sexo porque a sociedade nos cobra isso não passa de um mimimi machista, ao qual não devemos ceder.

     Se os homens podem transar o quanto quiserem e depois serem vistos como bons parceiros para estabelecer relações duráveis e estáveis por que nós também não podemos? Só porque temos vaginas no lugar de pênis?

      Você mulher pode sim transar com quem quiser, com quantos quiser, como e onde bem decidir e isso não vai alterar a sua capacidade de amar um futuro parceiro.

     Você mulher pode gostar de sexo, gostar de ter prazer, gostar de dar prazer sem que isso mexa com os seus sentimentos e com a sua vontade de dar e receber amor! Uma coisa não exclui a outra e na verdade elas se complementam!

      Então da próxima vez que tentarem te impor essa ideia absurda de decidir entre amor e sexo se imponha e diga que quer viver uma vida completa, a vida completa que você sonha, e não a vida enquadrada nos padrões que os outros aceitam. Depois siga livre, porque você pode e merece!

 

 

Deixe um Comentario